Blog do Márcio
Tipos de financiamento imobiliário: quais são os mais vantajosos?
Publicado há 2 semanas

Tipos de financiamento imobiliário: quais são os mais vantajosos?

Existem três tipos de financiamentos pelos quais você pode optar quando for negociar o seu imóvel: SAC, Sacre e Price. Conhecer cada um deles e para quem são indicados é importante para escolher a melhor linha de crédito para o seu orçamento.  Financiar um imóvel ainda é a escolha de grande parte dos brasileiros. Somente

Existem três tipos de financiamentos pelos quais você pode optar quando for negociar o seu imóvel: SAC, Sacre e Price. Conhecer cada um deles e para quem são indicados é importante para escolher a melhor linha de crédito para o seu orçamento. 

Financiar um imóvel ainda é a escolha de grande parte dos brasileiros. Somente em agosto de 2020, houve um aumento de 74,4% em financiamentos imobiliários — porcentagem essa que representa um valor de R$ 11,7 bilhões nesse formato de crédito — segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

No entanto, para não fazer uma escolha que prejudique o seu orçamento e corra o risco de não conseguir pagar, é preciso conhecer essas categorias e avaliar o que melhor se encaixa no seu orçamento. 

Neste post, abordaremos esses três tipos de financiamentos. Então, acompanhe e entenda como eles funcionam e as possibilidades de cada um. Confira!

Sistema de Amortizações Constantes — SAC

O Sistema de Amortizações Constantes, ou SAC, é um tipo de financiamento imobiliário em que as amortizações são feitas ao longo da quitação do crédito. Nessa categoria, que é a mais utilizada pelos bancos, a taxa de juros varia, mas sempre incidem sobre o saldo devedor do empréstimo. 

Como esse desconto é feito constantemente durante todo o empréstimo, o valor a ser pago nas parcelas do seu financiamento é reduzido gradativamente no decorrer do período acordado. No entanto, quanto maior o valor das suas parcelas, menor é a taxa de juros do SAC. 

As taxas de juros da tabela SAC (utilizada como referência para a amortização) é reajustada com base na Taxa Referencial. A TR — que já é conhecida por quem usa a poupança — é uma taxa de juros usada como índice de referência da economia. Desde setembro de 2017, ela não apresenta alteração e segue em 0%. 

Então, resumidamente, no financiamento SAC você começa pagando parcelas em valores mais altos, mas que vão reduzindo ao longo do tempo. No entanto, o que é reduzido são os juros que incidem sobre as parcelas do contrato, e não a taxa de amortização.

Aqui, o principal objetivo é quitar a dívida mais rápido e pagar menos nas últimas prestações. Assim, você consegue investir em outras coisas, como decoração e mobília. 

Sistema de Amortização Crescente — Sacre

Até certo ponto, o Sistema de Amortização Constante é o contrário do SAC já que no Sacre as parcelas aumentam. Porém, depois de algumas prestações, elas caem de valor. O reajuste das parcelas é feito baseando-se também na Taxa Referencial. 

A maior vantagem desse tipo de financiamento é que, apesar de as amortizações serem crescentes durante um período, os juros vão diminuindo com o tempo. Essa pode ser uma boa alternativa para evitar a inadimplência, assim como no financiamento imobiliário SAC. Além disso, no Sacre, o prazo total do financiamento tem períodos menores. 

Sendo assim, a principal característica desse sistema de amortização é que, em longo prazo, a incidência de juros é menor. O Sacre é um sistema de amortização que une um pouco do SAC e do Price. Esse é o método em que você paga a menor porcentagem de juros, mas as parcelas são maiores no início. Sendo assim, em termos de planejamento financeiro, o Sacre tende a aliviar as suas finanças pessoais conforme você vai quitando o financiamento.

Então, esse pode ser um bom tipo caso você queira financiar o seu imóvel agora, porque tem condições de arcar com mas parcelas, mas tem incertezas em relação ao futuro da sua renda e ao seu futuro profissional, por exemplo. 

Sistema Price

A Tabela Price é uma das mais conhecidas e está presente em diferentes tipos de financiamentos e negociações. Trata-se de um sistema de amortização também crescente, ou seja, conforme você quita as parcelas, a amortização aumenta. Porém, a grande vantagem é que os juros reduzem de maneira proporcional (inversa). 

No momento de calcular as suas parcelas, a instituição financeira precisa considerar três fatores:

  • o tempo do financiamento;
  • o valor total do imóvel;
  • a taxa de juros que será cobrada.

Esse sistema de financiamento não é nada novo. Ele foi criado ainda no século XVIII pelo francês Richard Price. Inicialmente, essa tabela foi criada para o pagamento de aposentadorias e de pensões, por isso passou a ser utilizada no mercado financeiro. 

Então, ficou definido que, no financiamento Price, as primeiras parcelas são compostas, em grande parte, pelos juros. Depois, progressivamente, os valores de amortização aumentam e os juros diminuem. Exatamente por isso que ele também é chamado de sistema de amortização crescente. Geralmente, os bancos escolhem esse sistema por ser vantajoso para eles. Afinal, nas primeiras parcelas você pagará maiores juros, o que significa maior retorno para o banco. 

Além disso, é importante entender as diferenças entre a Tabela Price e o SAC. Algumas pessoas ainda confundem esses dois tipos de financiamentos e acabam se enrolando no momento da escolha. Como vimos, a Tabela Price é composta, em grande parte, por juros. Então, a amortização aumenta e os juros diminuem conforme as parcelas são quitadas. Porém, durante esse movimento, o valor da parcela que você pagará não se altera. 

Já no SAC, o valor da parcela diminui durante o período do financiamento. Isso acontece porque o valor descontado de amortização sempre será o mesmo; o que cai é a porcentagem de juros que incide sobre o seu contrato. Além disso, no SAC, você pode ter uma economia de, em média, 10% em relação aos juros, levando a uma redução significativa do valor das prestações ao final do contrato.

Conhecer os tipos de financiamento é essencial para que faça a escolha ideal para o seu bolso e para o futuro do seu imóvel. A compra de uma casa é um sonho de muitas famílias, e o financiamento é uma maneira de tornar esse desejo realidade. Então, estude todas as possibilidades e mantenha o seu planejamento financeiro em dia. 

 

FONTE: https://www.imovelweb.com.br/noticias/dicas-de-imoveis/comprar-imoveis/financiamento-imobiliario/